quarta-feira, 4 de outubro de 2006

Porque recordar é viver ...


A engambelação de Yeda de que representa um “novo jeito de governar” deveria ser comprovada através de fatos, de uma trajetória política coerente, de uma história ligada a mudanças e principalmente através das opções adotadas ao longo da vida pública.

Mas em nenhum desses aspectos Yeda consegue comprovar esta mistificação política criada para mais uma vez iludir o povo e tomar de assalto o aparelho de Estado.
Yeda, Alckmin e toda a aliança conservadora que se articula em torno de suas candidaturas ressucitam políticas fracassadas do século passado e que não deram certo no Brasil e no Rio Grande.

Eles querem retomar a agenda superada das privatizações do Banrisul e de empresas estatais, das concessões de benefícios estatais para mega-empresas que não precisam, e do desmonte das ações públicas na saúde, educação, assistência social e segurança pública.

A história não é uma página em branco, como a velha turma que já governou mal o Rio Grande e o país querem fazer crer.

Para que todo mundo se recorde – e para que nunca mais aconteça -, Biruta atiça a memória com outra imagem de 1998. Ali aparece a fotografia de Yeda e dos seus velhos amigos que, segundo Britto, estavam "ajudando a construir o 'novo' Rio Grande". [sic]

A fotografia mostra muitos da turminha ainda com carinhas jovens. Já praticavam as velhas maldades desde criancinha ...

Um comentário:

ALBERTO KOPITTKE disse...

Muito boa a lembrança.
Publiquei do blog www.juventudeluladenovo.blig.com.br