sexta-feira, 15 de setembro de 2006

Na eleição tá liberado

Na eleição, práticas de racismo e de preconceito religioso estão liberadas.
Este é o significado da decisão da juíza Marga Tessler do TRE, que proibiu o candidato Collares de veicular no horário eleitoral críticas ao comportamento racista e preconceituoso de Yeda durante o debate na TV Pampa da última segunda-feira.
Racismo e preconceito deve se combater e se repudiar a qualquer hora, em qualquer circunstância e junto a todas as pessoas, principalmente durante o processo eleitoral.
Eleição é um momento cívico, de geração de consciências, de pedagogia política e deveria ser, por excelência, uma ocasião para difundir uma cultura de tolerância e respeito racial, étnico e religioso.
É inaceitável que seja censurado o direito de crítica a uma atitude da candidata Yeda, que inclusive é tipificada como crime inafiançável.

Um comentário:

César disse...

Cara, isso é chocante.